web analytics

Comunistas usaram estudantes do secundário para manipularem opinião pública

escola

As associações de pais das escolas da Quinta do Conde e Autarquia de Sesimbra (CDU), no passado dia 26 de Janeiro, dinamizaram um evento que envolve um cordão humano que pretende despertar mais os sentimentos da população do que a sua própria inteligência, encorajando, assim, perversamente, os alunos do ensino secundário a reivindicar, na sua freguesia, a construção de uma nova Escola Secundária. Porém, o evento acabou por ser interrompido devido ao mau tempo.
 
Segundo Cleon Skonsen, ex-agente do FBI, uma das metas internacionais dos comunistas, é tomar o controle de escolas, usá-las como centros de transmissão para propaganda política e tomar o controle de associações de professores, inserindo a sua linha ideológica nos livros didácticos.
 
Só em 2016, véspera de ano eleitoral, a autarquia de Sesimbra disponibilizou um terreno para a construção do respectivo equipamento, dando prioridade, em anos anteriores, ao “investimento do Carnaval”, cuja sua “factura” é desconhecida publicamente.
 
Desde o princípio dos anos 90 que a autarquia de Sesimbra tem vindo a apostar na criação de novas escolas de samba, construção e remodelação de sedes.
 
De acordo com Felícia Costa (CDU), vice-presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, a autarquia nunca teve intenções de reduzir a factura associada ao Carnaval, no qual se incluem os subsídios às escolas de samba, grupo de cegantes e “outras tradições”.
 
Embora o processo de construção da nova escola secundária, na Quinta do Conde, estivesse previsto para 2011 e tenha sido interrompido pelo Ministro da Educação, só em de 2016 conseguiu ser debatido e aprovado em plenário, na Assembleia da República, pelo governo de António Costa (PS).