web analytics

Sesimbra é o pior destino do distrito de Setúbal para fazer turismo

Situada apenas a 40 quilómetros de Lisboa, Sesimbra é a zona turística mais cara da Península de Setúbal para se fazer turismo.
 
Além dos preços de alojamento nos hotéis não serem convidativos e das habitações serem caras, os transportes são limitados e o estacionamento passou a ser cobrado a 1,5 euros /hora.
 
Devido à escassez de estacionamento livre na Vila de Sesimbra, inclusive para moradores, a praia de Sesimbra também tem se verificado cada vez menos frequentada.
 
Na Vila de Sesimbra há quem comece a compreender a diferença entre a retórica “amiga do povo” do Partido Comunista e a realidade nua e crua de uma gestão decidida em comité central.
 
“As pessoas em Sesimbra estão conscientes do que se está a passar mas têm medo de falar e empregos a manter. Os comunistas sabem que a sua continuidade na autarquia passa principalmente pela Quinta do Conde, a freguesia mais habitada do Concelho. Nós aqui estamos a ser massacrados por impostos e a perder postos de trabalho”, diz um morador.
 
Apesar do turismo em Sesimbra se encontrar em vias de extinção, não só pela política de impostos praticada, mas também pela falta de condições e de oferta turística, a Autarquia de Sesimbra (CDU) veio a público considerar positivo o relatório de contas referente ao exercício de 2015, auto congratulando-se pela redução da sua dívida global.
 
“A divida global da autarquia baixou 2,8 milhões de euros, situando-se nos 24.771 milhões de euros, atingindo níveis anteriores a 2005. A divida de curto prazo é agora de apenas 5,2 milhões de euros”, declarou a CDU Sesimbra em comunicado.