web analytics

Autarquia CDU obriga munícipe a recorrer à comunicação social para se efectuar limpeza de rua

entulho

Um munícipe, em Quinta do Conde, Sesimbra, viu-se obrigado a recorrer à comunicação social para pressionar a junta de freguesia da localidade a deliberar uma resolução pelo estado impróprio que se encontra uma via pública, por se tratar de uma zona comercial.
 
Após diversas tentativas de contacto sem resposta a Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia da Quinta do Conde e exposição de algumas fotografias nas redes sociais do caso ignorado durante quase um ano, Francisco Mora, resolveu escrever ao Correio da Manhã para ir até ao local.
 
Segundo Francisco Mora, o executivo, fez-lhe um convite para se deslocar às instalações da Junta de Freguesia e acabou por sair por uma porta alternativa para não o atender.
 
A conduta autoritária e totalitária do actual executivo da Junta de freguesia da Quinta do Conde (CDU), já era conhecida em todo o Concelho de Sesimbra.
 
Em meados do ano passado, vários moradores da Quinta do Conde, tiveram de recorrer ao tribunal para forçar uma associação a desocupar um terreno na via pública, e mesmo após uma decisão favorável para também usufruírem do espaço, a vedação não foi devidamente retirada como se pode verificar na imagem abaixo.
 
 
terreno vedado
 
“Este terreno é público, está no mapa da Quinta do Conde mas estes senhores desta associação de cantares alentejanos colocaram rede à volta ficando apenas para uso deles e de suas festas. Os moradores fizeram queixa e ganharam pela lei, foi pedido que retirassem a rede. Passou quase um ano e tirei esta foto hoje.
Gostaria de saber se existem pessoas acima da lei.”, lamenta Rita Barata, moradora na Quinta do Conde.

 
Posteriormente ao banimento de simpatizantes e activistas da CDU num grupo do Facebook, por motivos de insulto, difamações e intimidações a diversos autores de várias publicações, o então ex-fiscal de obras e actual presidente da junta, actualizou nas redes sociais a sua posição, por ser habitual a exposição de casos de má gestão autárquica, registos históricos e corrupção sobre o Partido Comunista Português.
 
De acordo com vários quintacondenses, o grupo “Amigos da Quinta do Conde”, é o único grupo sobre a vila onde ainda é possível haver liberdade de expressão e de opinião, por não possuir administradores com ligações ao Partido Comunista.
 
Devido à privação dos referidos valores de Abril, conquistados aos fascistas em 1974, o grupo não demorou a ganhar adesões e participações constantes de indignados e oprimidos pelo poder local.
 

 
Consta ainda, que em meados de 2008, Vítor Antunes, deslocou-se à residência de Arlindo Funina, acompanhado por duas testemunhas, para exigir que retirasse o seu nome de um blogue a denunciar um alegado caso de corrupção que envolvia milhões de euros, ameaçando-o com um processo crime que acabou arquivado em 2010.
 
Segundo Arlindo Funina, Vitor Antunes, recusava a consulta dos documentos administrativos da AUGI nº 18 do Pinhal do General, Quinta do Conde, Sesimbra.
 
“O Srº Presidente da Junta da Freguesia de Quinta do Conde, respondeu-me desta maneira em altos gritos, dizendo que quando me via à sua frente, não teria vontade nenhuma de facultar o que quer que fosse, ao pensar que um filho da pu.., um cara de ca.., um bardamerda tivesse posto em causa a sua dignidade e hombridade no seu Blog”, explica Arlindo Funina
 
Arlindo Funina, alegava saber de irregularidades no seu blog sobre a AUGI nº 18 do Pinhal do General, que garantia ser fantasma e do conhecimento de Augusto Pólvora (CDU), Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra.