web analytics

População admite haver demasiado Carnaval em Sesimbra

barulho

A maioria da população sesimbrense, admitiu durante a semana passada nas redes sociais, que haveria Carnaval em demasia na Vila de Sesimbra. A notícia de um inquérito de satisfação acabou por se tornar viral e muitas confirmações de internautas de outras localidades surgiram.
 
O facto acorreu após ter sido divulgado o resultado final do respectivo inquérito sobre todos os motivos que estariam na origem dos turistas de Verão não passarem a sua época balnear em Sesimbra.
 
O inquérito, integrado num dos nossos artigos, para uma maior visualização possível, envolveu aproximadamente 1500 utilizadores e foi acedido por dezenas de milhares de leitores que tomaram espontaneamente a iniciativa de responder, sem pressões ou manipulações de qualquer entidade, empresa ou organização.
 
Sendo assim, a forma mais correcta e sensata de apurar os factos mais relevantes.
 
Por sua vez, os sambistas envolvidos no Carnaval de Sesimbra, manifestaram indignação face ao inquérito, classificando a noticia tendenciosa e colocando a veracidade do resultado em causa.
 
Porém, nem mesmo o nosso site faria planos de noticiar o inquérito e de divulgá-lo, caso o Carnaval em excesso não tivesse sido apontado como a segunda maior causa apurada que está na origem da fraca afluência de turistas em Sesimbra.
 
Obviamente, que a chave do titulo da noticia, passou pelo facto dos inquiridos terem considerado o excesso de samba mais determinante que os preços praticados pelos empresários para visitar Sesimbra e por ser também, a grande novidade para uma parte da comunidade sesimbrense.
 
Contudo, os carnavalescos em Sesimbra, aparentam estar com dificuldades em aceitar tais opiniões e realidade exposta publicamente, procurando a todo o custo inverter a opinião pública, não só por estarem envolvidas verbas camarárias altíssimas na ordem das dezenas de milhares de euros que lhes são atribuídas há mais de uma década para a sua sustentabilidade, como também, pelo protagonismo social que foram habituados a ter.
 
Este ano, parte das verbas de promoção regional foram também atribuídas às associações de samba.
 
Nem mesmo para reverter a actual situação económica da vila de Sesimbra, onde cada vez são postas mais casas à venda, onde há cada vez mais empresas a encerrar portas e postos de trabalho em risco, onde há cada vez mais necessidades comunitárias vigentes pela distribuição inadequada do orçamento municipal, estão dispostos a abdicar essas verbas excessivas, provenientes do dinheiro de todos os contribuintes e atribuídas anualmente pela Câmara Municipal de Sesimbra ao Carnaval.
 
Distribuídos por associações com fins lucrativos e centenas de associados cada, dizem que o Carnaval de Verão enche as ruas da marginal, usando uma ilusão óptica aos demais através de registos fotográficos dos dias de samba em que reúnem todos os associados, famílias e amigos na avenida.
 
Imprimindo uma ilusão ao público e intitulando de turismo de Verão, toda essa afluência, maioritariamente feita por residentes locais.
 
Optam por se preocupar mais em denegrir a imagem deste site do que em apurar a própria verdade, atacando a imprensa livre e democrática e ofendendo regularmente o seu gestor. Típico de quem sabe que não tem razão e tenta manipular o próximo pelo seu proveito.
 
Felícia Costa (CDU), responsável pelo pelouro da Cultura, afirmou em 2014, que a autarquia, não teria intenção de reduzir a factura da despesa associada ao Carnaval.
 
Augusto Pólvora, presidente da Câmara Municipal de Sesimbra (CDU), ainda não tomou nenhuma posição face a esta situação de desagrado e inconveniente para o desenvolvimento local e turismo, permanecendo em silêncio.

 
trio barulhento
trio barulhento
 
“Tudo o que o homem não conhece não existe para ele. Por isso o mundo tem, para cada um, o tamanho que abrange o seu conhecimento.”
 
 
Acordar, nem sempre significa reconhecer ou compreender só o problema e continuar a conviver com ele.
 
Significa também, a força e o engenho necessário para se traçar um objectivo devidamente eficaz rumo ao desenvolvimento.
 
Nesta hora regeneradora, é urgente a união de toda a comunidade sesimbrense.
 
Uma adesão a um plano, a uma ideia, a um objectivo, que esteja isento de secretismos, separatismos, subterfúgios e tensões.
 
É urgente uma união rumo à equidade, progresso e sustentabilidade, para uma satisfação de todas as necessidades locais e desejos fundamentais comunitários que permitam traçar outra trajectória com a qual todos nos identifiquemos.
 
Importa, que cada um pense agora, o que é necessário fazer, estruture uma agenda local e se forme um verdadeiro corpo social, consciente e colectivo com a sabedoria ao serviço do bem geral.
 
Pois é urgente derrubar os pilares que descaracterizaram notavelmente esta vila e desenvolver uma comunidade mais equilibrada e perene.
 
Uma Sesimbra melhor possível.
 
 
barulho
trio barulhento
 

O que se comenta nas redes sociais

 
“Não há pachorra (..) Até na Costa da Caparica, a cidade mais brasileira de Portugal, já nos deixámos cá de sambas.”
 
“Acho que sim, vamos lá para descansar ou para aturar aquela barulheira toda?”
 
“Ter que levar com o samba o ano todo, até nas férias, é demais.”
 
“Carnaval de Inverno, Carnaval de Outono, Carnaval de Primavera, Carnaval de Verão. Carnaval, Carnaval, Carnaval. Os pexitos até choram para desfilar uns para os outros (…)”
 
“Meteram na cabeça que é tradição viver às custas dos outros (..)”
 
“Sesimbra vale pela calma, gastronomia e pela beleza natural. Um espaço pequeno sem estrutura para esse tipo de festa.”
 
“Não sei o que acontece, mas no último Carnaval de Verão, arrependi-me de ir para ai. Com miúdos pequenos é difícil”