web analytics

CDU destrói economia local a Sesimbra e culpa site regional

sesimbra deserta

Após a saída da nosso último artigo sobre o vazamento de resíduos tóxicos na praia de Sesimbra, activistas e apoiantes da Coligação Unitária Democrática (PCP/PEV) tentaram manipular a opinião pública local, de modo a culpabilizar o site Sesimbra Cultural pela situação degradante que se encontra a Vila de Sesimbra.
 
Situação essa, que tem vindo a agravar-se ano após ano, devido a diversos factores resultantes de políticas destruidoras que afectaram a longo prazo, a Pesca, a Fauna Marinha, o Turismo, o Comercio Local e toda a economia. Factores inimigos do progresso e do equilíbrio económico que nunca foram resolucionados em décadas.
 
Os apoiantes e activistas do partido mandatário, que administra a Autarquia de Sesimbra, alegam que, o site Sesimbra Cultural, “está a queimar a imagem da terra e a dizer mal de Sesimbra”, prejudicando o turismo.
 
De acordo com os militantes e apoiantes da CDU em Sesimbra, há assuntos que não podem ser noticiados para salvaguardar a imagem da região de Sesimbra, pressionando o site a seguir a linha editorial de outros canais de difusão local, pagos com o erário público, que não noticiam assuntos pertinentes, de interesse geral, comunitário, humanitário e ambiental.
 
Anteriormente, já se teriam empenhado em denegrir localmente a sua imagem, manipulando os empresários e cidadãos, que o site Sesimbra Cultural, seria uma “oposição” ao Partido Comunista Português e ao Partido Ecológico Verdes, estando uma outra força política por trás do mesmo.
 
Actos difamatórios, estrategicamente almejados, e embustes de carácter pessoal foram também incutidos ao coordenador de equipa e contribuíram para muitos comerciantes e empresários boicotarem o único meio difusor local com capacidade de promover Sesimbra ao exterior.
 
Rotulando o seu responsável, socialmente, como um “louco”, como um “deficiente mental”, que “não batia bem”, que seria um “frustrado”, um “Nojento” e todos os defeitos que denegririam a imagem pessoal a qualquer cidadão comum, destruindo por completo a sua vida social em Sesimbra. Formatando ainda, uma omissão, sobre a segmentação de mercado turístico feita, sem qualquer tipo de apoio camarário e empresarial, para algo que não conseguem proporcionar ao mesmo nível, mesmo pagando a terceiros.
 
Actos que visaram vivamente tentar acabar com o site mais popular e internacional de sempre sobre a região e o meio de comunicação com a maior capacidade difusora.
 
Ora, relembramos aos nossos leitores, que, 85% do público que nos acompanha, não reside em Sesimbra e que, muitos dos que nos seguem, são estrangeiros de vários países.
 
Recordamos que, fomos lesados o ano passado pela mesma força política, pelo tempo que disponibilizámos a full-time, na promoção da região, devido ao incumprimento autárquico, durante três meses, encaminhando turistas para Sesimbra e ajudando o comércio local a aumentar receitas. Tempo esse, que abdicamos do nosso próprio sustento, para demonstrar um melhor desempenho e dinâmica.
 
Após o incumprimento premeditado da parte da autarquia, para com este site, cessámos regularmente a promoção digital da região na internet, facto esse, que culminou numa descida de fluxo turístico, em Sesimbra, que se tem verificado nos últimos meses.
 
Desta forma, e porque a lucidez é também a arte de ver com clareza qualquer obscuridade, o site Sesimbra Cultural convida os autores dos respectivos embustes e difamações, para nas próximas arruadas e campanhas eleitorais, transmitirem aos comerciantes locais, aos empresários, aos habitantes da região e a toda a comunidade sesimbrense, que fizeram uma tentativa de acabar com o único meio difusor da região ao exterior, que possui potencial para promover Sesimbra, que estaria a ajudar muitos a ganhar o seu sustento, através de manipulações, e que ainda incitaram o ódio ao seu coordenador de equipa, de modo a que seja um alvo colectivo a abater.
 
Solicitamos aos eleitos da CDU que relembrem a todos os sesimbrenses, nas próximas campanhas eleitorais que:
 
– Não é o site Sesimbra Cultural que descarrega o esgoto e resíduos tóxicos prejudiciais à saúde pública na praia de Sesimbra, há anos, que contribuiu para reduzir a qualidade da água do mar, para a limitação do sector piscatório, para a destruição da flora e para a extinção de espécimes na fauna marinha, que por sua vez, impressiona quem assiste às respectivas descargas, por se acompanharem de um cheiro nauseabundo, lesando a imagem da vila, devido às fezes humanas em praias com bandeira azul.
 
– Não é o site Sesimbra Cultural que toma decisões sobre a quem atribuir o dinheiro público destinado à promoção regional, pois tem sido direccionado para entidades como o Clube Sesimbrense e para Associações de Samba, que recebem dezenas de milhares de euros por ano, sem possuírem nenhum meio que promova Sesimbra ao exterior.
 
– Não foi o site Sesimbra Cultural que privatizou o estacionamento na zona central da vila, implementando uma política de parquímetros que está a taxar todos a 1,5 € por hora, de modo a liquidar o mais rápido possível a dívida contraída, que em parte financiou o “investimento do Carnaval”, prejudicando o turismo e a qualidade de vida dos que residem, trabalham e frequentam Sesimbra.
 
– Não foi o site Sesimbra Cultural que ergueu, na praia do Meco, o monumento aos estudantes que faleceram no local, criando pânico e medo a todos os que frequentam essa praia.
 
– Não foi o site Sesimbra Cultural que fixou um IVA de restauração descomunal.
 
 
esgoto
ssib
 
Em suma, não é o site Sesimbra Cultural que subtrai a vontade da maioria da população em Sesimbra, dos trabalhadores e do povo, em detrimento de interesses e estratégias partidárias ou quem concorre às eleições como seus defensores e representantes.
 
Conclusão, se não houvessem centenas de lacaios fidelizados a troco de um emprego e facilidade social, de modo a que se proporcionem defesas incondicionais ao que está a ser desviado para interesses particulares instalados, nunca a este nível de progresso e desenvolvimento teriamos chegado.
 
 
comunismo a nú
 

A fraude do comunismo e suas utopias

 
É algo que só existe em teoria, um dogmatismo sem sistema como afirmou Fernando Pessoa. As suas doutrinas baseiam-se na luta anti-capitalista, entre proletários e burgueses, para justificarem e implementarem as suas fraudes, mediante propaganda defensora da classe operária.
 
Porque sabem que o capitalismo é indestrutível, auto-gestionado pela dinâmica individual e criativa de cada um e sobrevive sempre, até mesmo sob as maiores ditaduras comunistas, socialistas e marxistas.
 
Em toda a história da humanidade, o comunismo nunca foi aplicado ou implementado em nenhuma parte do mundo, como foi doutrinado.
 
Apenas resultou num genocídio massivo da humanidade devido ao controlo e protecção dos seus regimes pelo uso da força e armas, condicionamento da liberdade de expressão, controlo de todos os meios de comunicação do estado e fuzilamentos públicos a quem discordou das suas ideias e ousou opor-se ao regime político de partido único.
 
Todos os líderes comunistas são capitalistas. Os partidos comunistas, simplesmente, doutrinaram-se para encapotar o seu verdadeiro objectivo: O totalitarismo, o fascismo e o autoritarismo. A ditadura do proletariado.
 
Marx, Engels, Lenin, Trotsky, os nomes base da defesa da classe operária, foram filhos de burgueses mimados que nunca trabalharam na vida.
 
Países como a Alemanha, EUA e Inglaterra, desenvolveram-se, porque souberam livrar-se do comunismo e das suas células que se infiltram na sociedade visando destruí-la interiormente.
 
Algo que em parte, acabou por acontecer em Portugal no ano de 1975, período pós 25 de Abril, época em que o PCP governou o país juntamente com o MFA, culminando na destruição de toda a economia portuguesa e forçando a emigração da população em geral.
 
Joseph Stalin, uma das grandes referências do Partido Comunista Português, responsável por milhões de mortes, por fome e assassinatos em massa, defendeu que, a América, seria como um corpo, e a sua saúde, um tripé de patriotismo, moralidade e espiritualidade.
 
Stalin, afirmou que, para se destruir um país tão forte como os EUA, seria necessário detonar por dentro os seus pilares de defesa nacional.
 
No livro, “O Comunista Nu” de Cleon Skousen, antigo agente do FBI, são apresentadas 45 metas comunistas, a partir de 1958, que visam destruir as sociedades, culturas ocidentais e suas economias por dentro, com a pretensão de tomar o poder e implementar um regime comunista de partido único, que no qual não permite que ninguém discorde.
 
Ou seja, a estratégia dos comunistas para destruir qualquer nação, cultura e economia, é sobrecarregar o Estado interiormente e sua sociedade, dominando mais que um partido e vários movimentos de protesto, de modo a que o mesmo, entre em colapso total.