web analytics

Debate sobre o turismo em Sesimbra acaba em autêntica palhaçada

debate

O último debate comunitário sobre o turismo em Sesimbra ocorrido no Clube Sesimbrense , emitido em directo pela Sesimbra FM no passado dia 31 de Maio, foi mais uma sessão de oportunismo praticada por diversos agentes económicos empresariais que exploram o mercado do concelho de Sesimbra. Revelou-se  fraco e sem produtividade para a promoção do concelho, uma autêntica palhaçada!

O tema resumiu-se a viver, visitar e investir. Foi mais um debate organizado pela Liga dos amigos de Sesimbra, aberto à participação de todos os que quisessem discursar, sendo essa uma das formas  de todos os interessados terem a oportunidade de intervir.
 
Os empresários que constituem o Turifórum voltaram a marcar presença e a lhes ser dada permissão de efectuarem as suas habituais intervenções  pois continuam a alegar ou alegam que desde 2006 , andam a delinear estratégias para o desenvolvimento económico da região, tendo sido disponibilizado  apoio pela câmara municipal para esse efeito. Mas os resultados são o inverso das metas a atingir, cada vez menos as pessoas vivem, investem ou visitam Sesimbra.
 
Tudo indicava que este viesse a ser um debate para discutir os maus dias que o turismo atravessa sugerindo soluções para  a situação ser contornada, só que nada disso aconteceu e cada um dos intervenientes que lhes foi cedida  a permissão de intervir, limitou-se a apelar para a implementação de uma estratégia para elevar o seu negócio ou nicho  com apoio local.
 
Falou-se em  falta de condições de alguns  nichos que não são tão importantes como querem fazer crer ao invés de falarem em como e de que forma se pode promover Sesimbra e o negócio que apostam para lucrar, com que meios poderiam promover e destacar Sesimbra ao público para além do tão generalizado Sol & Mar inserindo os seus nichos de mercado para fortificar Sesimbra na atracção.
 
O que foi defendido foi que cada nicho de mercado é algo que pode destingir Sesimbra dos outros destinos, que será um interesse geral para o turismo dos visitantes e por isso merecedor de investimento camarário.
 
Estamos em 2014, se em 2006, data em que o Turifórum começou com as alegadas estratégias de desenvolvimento, os números de escoamento do fluxo turístico eram assustadores, actualmente são devastadores pois reflectem-se em mais desemprego na comunidade sesimbrense, em mais desertificação , em mais migração, em menos qualidade de vida para os que habitam e para os que visitam, não esquecendo o facto do fenómeno se propagar aliado à crise económica do país pelos portugueses terem também perdido poder de compra nos últimos anos.
 
Houve quem falasse desavergonhadamente mesmo em parcerias público-privadas como a solução para o turismo local, tendo sido de imediato satirizado e interrompido pelo moderador. Pedimos desculpa a todos os que querem enriquecer com o dinheiro público e não gostarem de ler este artigo mas ainda são mais aqueles que não gostam de ser prejudicados  pelos interesses de alguns. Chegaram a questionar em como promover Sesimbra mas ninguém chegou a apresentar soluções ou falou de meios existentes para isso.
 
Num debate sobre o turismo em que manifestam falta de mercado ignoram quem está a impulsionar as pessoas a visitarem Sesimbra, quem tem melhores meios para a sua  promoção  na internet e  que tem facilidades de alcançar muito mais mercado para Sesimbra por essa via. Desvalorizam quem  tem estado a potenciar o negócio de todos há mais de dois anos com ferramentas de elevada capacidade de difusão pela sua optimização e conhecimentos aplicados.
 

Clube Sesimbrense

 
Apesar de todos reconhecerem a qualidade do trabalho, acompanharem todos na internet e de valorizarem a internet, fazem questão de continuar a ignorar o maior canal de difusão local numa expectativa frustrada de infantilizá-lo e omiti-lo ao público, pois viram as costas à realidade de não terem meios difusores para fazer melhor ou obter conversão através de uma via cheia de potenciais que é inovadora na comunicação e que de momento revela-se indispensável na sociedade moderna.
 
Tudo isto para puxarem a brasa à sua sardinha, pois é conveniente para os interessados omitirem um meio que contorna e pode contornar mais uma necessidade comum a todos e até de uma certa forma devem ver mais possibilidades de conseguirem apoios para se expandirem
 
Quer seja nas reuniões comunitárias, quer seja na Assembleia municipal e poder autárquico. Ignoram quem foi capaz de abdicar de facturar mais de 10.000 euros e tomar a iniciativa por possuir  recursos propícios à promoção, pelo tempo que já disponibilizou , durante mais de dois anos e quem tem levado e recuperado de uma certa forma visitantes para Sesimbra e jamais abdicariam de facturar para fazer o mesmo ou abdicariam de um apoio do estado por entidades que se revelam úteis ao desenvolvimento, que têm necessidades de se manter e que ganham dimensão por Sesimbra também precisar.
 
Tudo o que é facultativo nunca  deve se sobrepor a  uma necessidade mas em Sesimbra começa a ser algo que acontece cada vez com mais frequência assim como em todos os Orgãos a que os poderes de gestão são estabelecidos.
 
Estamos entregues a mentalidades que acham ou fingem  que  as condições dadas aos turistas e a incapacidade da autarquia promover Sesimbra por si mesma em outros mercados por não possuir meios próprios para esse efeito ao seu serviço, vão ser superadas com o apoio a actividades de lazer que só vão beneficiar os interessados pelo aumento de volume de receitas e que sendo a sua actividade, vale desde logo tudo para fazer crer diante do público, que deve haver investimento camarário.
 
Afirmam que marcará toda a diferença face a outras regiões concorrentes de turismo, que irá fazer Sesimbra distinguir-se e atrair massas populares, quando na realidade os únicos atraídos são os praticantes dessa actividade que é uma percentagem ínfima do que Sesimbra tem para oferecer.
 
 
debate
 
É necessário continuar a não votar e a sensibilizar todas as pessoas que votaram a deixarem de votar, a deixarem de compactuar com um sistema corrupto, votar é concordar com uma opinião diferente da nossa,  pois a classe política é um entrave ao desenvolvimento e não devem voltar a gerir dinheiro público pois as receitas são aplicadas em resposta aos  interesses e até em caprichos mas nunca em torno das necessidades da comunidade.
 
Tudo o que a classe política disser, são apenas velhas mentiras que  mais ninguém acredita e só os interessados ou boys têm conveniência que os outros acreditem para continuarem a ir para o poder e usarem e abusarem do dinheiro público como sempre fizeram.
 
A classe política cometeu inúmeros crimes, roubou o povo e deixou o país na miséria devido a  promiscuidades e interesses. Eles vão fazer tudo para se manterem no poder e continuar a viver à grande e à françesa às custas dos contribuintes, da miséria e dos sacrifícios do seu próprio povo pois sabem se houvesse uma opção para cruz no boletim de voto a dizer “Não quero ser governado por nenhum de vocês” de certeza que os números de abstenção desceriam significativamente e este sistema corrupto já tinha sido corrigido há imenso tempo.
 
Enquanto os políticos gerirem dinheiro público, a política vai ser sempre uma porta de entrada para todo o tipo de escroques e meninos mimados que tentam enriquecer facilmente com as tomadas de posse dos poderes, trazendo a reboque todos  os seus boys para beneficiarem em conjunto e para assim todos poderem dividir para reinar.