web analytics

Felícia Costa afirma que a autarquia não tem intenção de reduzir a factura do Carnaval

felicia

Felícia Costa, Vice-presidente e responsável pela  Cultura  em Sesimbra falou numa entrevista à Sesimbra FM sobre alguns assuntos locais que mereceram destaque.
 
A Vereadora afirmou à rádio local que a autarquia não tem intenção de reduzir o valor anexado ao Carnaval de Sesimbra, no qual se incluem os subsídios às escolas de samba, grupo de cegantes e outras tradições.
 
Defendeu que o Carnaval é um investimento e não uma despesa e que a segurança está assegurada e planeada e que o SAP de Sesimbra apesar da autarquia ter requisitado funcionamento continuo durante uma semana irá estar aberto ininterruptamente de sábado para domingo e de segunda para terça feira.
 
Além disso, Felícia Costa garante que não está a ser equacionada a possibilidade de haver entradas pagas para o corso porque um dos factores que mais agrada ao público,  é  ser gratuito.
 
Sem uma redução da taxa de IMI acrescida, os autarcas continuam a não apresentar soluções ou medidas que possam  contornar o problema de falta de estacionamento e da descida preocupante de movimento na vila  que se agravou com a integração excessiva de parquímetros por quase toda a Vila de Sesimbra e que fez escoar ainda mais o mercado turístico na localidade e aumentar o desemprego local.
 
 

Sesimbra é peixe

 
Estratégias promocionais que originaram campanhas  que visam a promoção do concelho e em que já se gastaram verbas a registá-las como marca, tal como a campanha Sesimbra é Peixe, começam a ser alvo de críticas da parte dos munícipes, por ser de fraca produtividade, por não ser suficiente para melhorar o desenvolvimento local e por estar a definir Sesimbra apenas como “Peixe”.
 
O investimento do Carnaval é a prioridade mais clara e facilmente perceptível, pode-se constatar que a equipa executiva está directamente relacionada com o seio e existência de novas escolas de samba, daí a estratégia prevalecer e sobrepor-se a qualquer necessidade comunitária. Segundo a estratégia dos autarcas pode-se concluir que o Carnaval em Sesimbra é mais importante do que a criação de postos de trabalho para os munícipes, é mais importante do que a saúde, é mais importante do que a construção de lares para idosos, estando a população regional cada vez mais envelhecida, é mais importante  que o problema do estacionamento da vila de Sesimbra  que inibe o comércio local , é mais importante do que a subida de qualquer taxa ou imposto para tapar buracos no orçamento que fizeram diminuir a qualidade de vida dos residentes do concelho.
 
“Instituições como a assembleia municipal e outras estão completamente desvirtuadas do papel que deveriam desempenhar numa sociedade dita democrática, as vozes que se levantam não passam de leves sopros aos ouvidos dos poderes estabelecidos.”
 
“Perante isto só podemos esperar que a população venha a crescer em consciência política e menos em telenovelas e futebol para que no futuro os governos, as câmaras e outras, sejam Orgãos ao serviço daqueles que os sustentam e não ao serviço de obscuros desígnios que são tudo menos a vontade da população.”